Jornalistas: Como identificar a veracidade de uma foto?

A verificação de autenticidade de uma foto é parte importante na construção de um texto jornalístico, pois a ilustração do texto precisa conter todos os elementos reais para a criação de uma matéria. Assim, é preciso sempre verificar se uma foto é real ou apenas uma montagem emergida de sites na web.

Com programas avançados de edição de fotos atualmente, uma foto pode nem sempre ser real. Assim, outros programas devem ser buscados para comprovar se são realmente fotos verídicas. Um jornalista necessita estar informado quanto à autenticidade de uma foto, pois a credibilidade de uma matéria passa, também, pela análise da foto para construção da real notícia apurada.

Por isso, dada a devida importância de fotos autenticadas incluídas na matéria, este artigo contém cinco dicas fundamentais para a verificação das mesmas para que, na hora de enviar para o editor, ele não fique com um pé atrás para incluí-la no jornal impresso ou no site de notícias. Confira:

1. Verifique edições inseridas na foto

Imagens salvas com .jpeg costumam apresentar baixa qualidade quando modificadas. Por isso, o programa Image Level Analyzer verificará, através da qualidade da foto, se a mesma foi alterada. Quando salva muitas vezes, a foto em .jpeg perde qualidade. Assim, caso fotos tenham sido sobrepostas e coladas sobre outra imagem ou haja a retirada de uma parte da mesma para melhor contextualização da imagem, ela apresentará níveis diferentes, sendo detectado pelo programa.

1-rio-tristezas

2. Comparação do espaço retirado

Data e hora alegados, localização definida, sombras analisadas. São necessárias análises profundas acerca destas definições enviadas pelo fotógrafo. Se a foto for real, hora, clima, data, localização, sombras tudo irá bater de igual para a validação da foto como real.

3. TinEye, o Google das imagens

Com este site é possível verificar a origem das imagens, tal como uma busca pelas raízes dela. Segundo o próprio TinEye, o site “descobre de onde a imagem veio”, contextualizando se é real ou apenas uma montagem criada por um internauta.

003

4. Elementos que compõem a imagem

Roupas, carros, placas, veículos, pessoas… São todos elementos que devem ser analisados com cuidado para não dar bandeira e publicar uma foto do ano de 2000 falando do ano de 2010. Muitas das vezes, apenas pesquisando e recebendo imagens, o jornalista acaba se deslumbrando com a fotografia, que não aparenta montagens ou criação, e acaba criando uma história em cima de uma farsa comprovada pelos elementos temporais que compõem a cena.

5. Foto incrível, notícia grande

Quantos OVNIS não são relatados diariamente? Quantos não são criados em cima de histórias fantásticas? Por quantas vezes a imagem passou por diversas inspeções, quase comprovada, mas morreu na farsa da história extraordinária? Por isso, é sempre bom um pequeno macete jornalístico: se uma história é muito boa, a foto é incrível, os fatos são alarmantes, é preciso conter a empolgação, verificar a fundo, para que, num futuro após publicação, a história não seja revelada como uma fraude.

0001

O trabalho de um jornalista não é fácil. É necessário trabalhar junto com a população, verificar os fatos e estabelecer se uma imagem que a contextualiza é real ou uma montagem. Por isso, com tais dicas, o jornalista terá um pequeno guia que o orientará na hora de verificar, ao menos, a realidade das fotos para não crer em histórias inventadas logo de cara.