A importância do engajamento do leitor

Desde o início da imprensa, a comunicação acontece basicamente através de uma via. Ou seja, os leitores recebiam as informações e se quisessem entrar em contato com o veículo ou participar da conversa, enviavam cartas. Raramente existia um diálogo – no máximo, a opinião do leitor seria publicada na sessão de “carta do leitor”, famosa por muitos anos, mas nada mais.

A voz do veículo em si era sempre a mais importante, e a relação entre o leitor e o canal acontecia de forma mais apática. Não havia problemas, já que o próprio leitor não sentia esta necessidade de entrar em contato e também dar a sua opinião.

Mas aí veio a internet e os tempos mudaram, alterando também a forma como os leitores consomem a informação e se comportam a respeito dela. No início da internet 2.0 haviam os fóruns de discussão, onde as pessoas trocavam opiniões a respeito dos mais diversos assuntos. Muitos destes fóruns, aliás, sobrevivem até hoje, mas por lá vale a opinião de cada um, sem a inclusão dos veículos de comunicação.

Em seguida, começaram a surgir os blogs, e neles os campos de comentários, que mesmo quando eram publicados na mesma página das revisitas eram pouco utilizados e aproveitados. Na maioria das vezes, quem comentava qualquer coisa ficava lá, falando sozinho ou no máximo discutindo com outros leitores.

Mas com o tempo, os que publicavam o conteúdo passaram a ler estes comentários, respondê-los e até mudar a sua forma de comunicação em prol da audiência e de sensações mais positivas.

Mas com a popularização das redes sociais e a vinda de uma nova forma de comunicação, isso precisou mudar de forma mais consistente. Os veículos de comunicação passaram a se importar mais com a interação de seus leitores, seja através de curtidas e compartilhamentos ou através de comentários e a participação em enquetes.

E o leitor também passou a participar cada vez mais, dando sua opinião, curtindo, compartilhando e dividindo esta ou aquela notícia com as pessoas que conhece. A velocidade com a qual as informações alcançavam novos públicos era impressionante.

Os meios de comunicação, obviamente, perceberam a força deste movimento e passaram a investir em maneiras de melhorar e aumentar esta troca de experiências com seus leitores.

Mas afinal, seria este interesse em um maior engajamento algo realmente legítimo por parte dos canais ou somente uma forma de aumentar sua popularidade?

Na verdade as duas coisas acontecem ao mesmo tempo, já que são intrínsecas. Afinal, os veículos que passarem a ignorar seus leitores e optarem por não abrir conversa com eles estarão fadados ao esquecimento e perderão a audiência até desaparecerem.

Com isso, acontecerá por consequência a diminuição dos leitores e a receita de publicidade também cairá. Isso sem falar que os anunciantes sempre estarão atentos a públicos diferenciados, principalmente àqueles que são maioria no mercado ou mais dispostos a consumir mais.

O engajamento dos leitores também é positivo para a própria pauta do jornal, que consegue perceber o que é mais interessante para determinado público. Podemos dizer, portanto, que se trata de uma tendência que veio para ficar.