Para subir no Google, páginas devem priorizar experiência do usuário

O Google está focado em oferecer uma boa experiência para seus usuários e isso não é novidade.  Mas em comunicado oficial, o Google informou que a experiência do usuário será incluída como fator para rankeamento de links. Isso significa que para continuar nas primeiras posições de pesquisa, será necessário oferecer ao leitor um ambiente mais confortável para navegação. 

Apesar de anunciar oficialmente as mudanças, o Google disse considerar a pandemia da Covid-19 e o empenho dos empresários em sobreviver a este período. Por isso, os novos critérios passam a valer em 2021 e o início da aplicação será informado com seis meses de antecedência. 

Métricas vão balizar o desempenho dos sites

De acordo com o anúncio, a mudança está baseada em pesquisas feitas com usuários que disseram preferir sites que oferecem uma ótima experiência de navegação. As novas diretrizes para o rankeamento estarão alinhadas com as métricas do Core Web Vitals, divulgadas pela equipe do Chrome.

As métricas balizam os sites por parâmetros que envolvem velocidade de carregamento da página, capacidade de resposta e estabilidade visual. Isso significa reduzir scripts, plugins e elementos que pesem e aumentem o tempo de resposta da página.

Também será necessário pensar em um layout limpo, evitando a movimentação dos elementos. Para atender as exigências do Google as empresas terão que avaliar o que oferecem e tomar decisões.

Ferramentas podem ajudar desenvolvedores

Mesmo tendo alguns meses pela frente antes do início da aplicação das novas regras, quem quer se beneficiar com a mudança já pode começar a entender como os sites são analisados pelo Core Web Vitals. Por isso, o próprio Google recomenda o uso de ferramentas por desenvolvedores para uma análise mais real sobre seu site.

Ainda na nota oficial o Google informou que atualizou algumas ferramentas populares. Citou o Lighthouse e PageSpeed ​​Insights, para mostrar informações e recomendações do Core Web Vitals. O  Google Search Console oferece um recurso avançado capaz de  ajudar os proprietários de sites a identificar com rapidez pontos que podem ser melhorados.

Conteúdo segue sendo fator mais relevante 

O Google acredita que os ajustes vão contribuir para tornar a navegação na internet mais agradável, independente do navegador ou plataforma. Mas, também defende que proporcionando melhor experiência ao usuário está ajudando os negócios a prosperarem, com usuários mais engajados.

Porém, apesar de defender uma melhor performance dos sites em celulares, a qualidade do conteúdo segue sendo fator essencial no rankeamento. O buscador afirma que a boa experiência na página não substitui o conteúdo, que deve ser relevante e excelente. E, claro, atender as métricas já exigidas pelo Google. 

Mudanças para rankeamento de notícias

O rankeamento de notícias para busca em celulares também passará por mudanças. O Google anunciou que vai remover a tecnologia Accelerated Mobile Pages (AMP) dos Top Stories para busca por celulares e as métricas de experiência de páginas também serão critério para posicionar as notícias durante a busca.

Conforme a nota, apesar de não serem mais necessárias, os sites que utilizam AMP não vão sentir nenhuma diferença. O Google vai continuar oferecendo suporte para AMP e vinculando as páginas com a tecnologia quando estiverem disponíveis. Mas os sites de notícias devem continuar atentos às políticas de conteúdo do Google Notícias e ser elegível.