A volta do NewsLetter ou Boletim de Notícias

Mais rápidos de ler, mais claros e objetivos, os boletins de notícia (ou “newsletters”, como são conhecidos atualmente) voltaram com a carga toda nos últimos anos, à medida que os celulares foram repaginados em design e tecnologia.

Para entender como tais boletins estão voltando a fazer a diferença na vida das pessoas, precisamos voltar a atenção para o dia a dia de cada cidadão e ao fato de que, com o passar dos anos, cada minuto torna-se ainda mais precioso.

Hoje, em razão da agilidade que a tecnologia promove, tudo se torna mais rápido, mais acessível, mas também muito mais corrido. A velha máxima “tempo é dinheiro” cai como uma luva em diversos setores da sociedade, onde as pessoas parecem ter tempo apenas para dormir, comer e trabalhar!

E tudo começou a ficar mais difícil com a chegada dos celulares “superinteligentes”, os smartphones com internet 2, 3 e 4G, que facilitam todo tipo de contato e pesquisa na rede. Aplicativos e redes sociais integram-se na intenção de manter as pessoas não apenas conectadas, mas também antenadas dentro do possível com todas as novidades e mudanças no convívio social.

É nesse cenário que entram os boletins de notícia ou as famosas newsletters, que trazem um resumo completo das principais notícias locais, regionais ou nacionais, ou então informações pertinentes a um setor de trabalho, uma área de atuação, um grupo social, enfim, um conteúdo que sirva de suporte e apoio.

Informação é a base da nossa sociedade, seja ela de qual natureza for: política, social, econômica, policial, cultural, religiosa. Ela nos ajuda a moldar as nossas opiniões e pensamentos, nos aponta a direção certa seja qual for a nossa dúvida e facilita a nossa tomada de decisões.

Dessa forma, se for impossível acompanhar um jornal de ponta a ponta que não seja no domingo, durante a semana o boletim nos traz as mesmas informações, porém de forma sucinta, sempre na palma das mãos.

Outra inovação que fez com que os boletins de notícia ganhassem ainda mais força foi a possibilidade de tais conteúdos poderem ser compartilhados pela rede e por demais aplicativos de contatos e interação social.

A profusão de informações, agora, ganha um novo capítulo. O boletim, além de informar, pode também acompanhar uma gama de opiniões e críticas que fazem parte da pluralidade de assuntos e ideias que compõem a democracia.

Se falta tempo para formular opiniões mais bem embasadas a respeito, por exemplo, dos últimos escândalos que escancararam a falta de ética e honestidade por parte dos políticos, sobram conteúdos rápidos, de prática difusão e que ajudam a manter as pessoas mais bem informadas no decorrer do dia.

Da mesma forma trabalha um consultor imobiliário, corretor da Bolsa ou economista: ele espera sempre os boletins atualizados das cotações dos principais índices econômicos, a fim de melhor orientar a seus clientes, correntistas ou agências.

Os boletins aliados aos avanços tecnológicos não oferecem barreiras a quem tanto deseja progredir, uma vez que para dar passos cada vez mais largos só é preciso uma coisa: informação.