Web stories para notícias: a nova ferramenta para sites

Depois de dominar as redes sociais, agora os stories chegaram às notícias. As web stories para notícias são um novo recurso do Google para potencializar a propagação de informações relevantes na internet. O conteúdo voltado para celulares pode ser exibido em tela cheia e aparece como resultado de pesquisas no buscador. 

Com o recursos, sites de notícias podem divulgar informações no formato de stories e, se atenderem às diretrizes estipuladas pelo Google, poderão aparecer nas pesquisas. Para auxiliar veículos a aderir à novidade, a empresa preparou um guia com as recomendações necessárias para ativar as web stories para notícias. 

As web stories para notícias foram ativadas em outubro, mas ainda não estão disponíveis completamente no Brasil. Por enquanto podem aparecer na busca por imagens, mas no discovery do Google e a visualização em grade, estão disponíveis apenas em inglês e nos Estados Unidos. 

Grandes sites já aderiram às web stories

A Folha de São Paulo é um dos sites que já aderiu às web stories para notícias. Há uma página com conteúdo neste formato para os seguintes temas: cultura, cotidiano, saúde e bem-estar, comida, faça você mesmo, turismo, tec e games. O jornal O Globo também criou uma guia para as web stories.

Diferente da Folha de SP, o O Globo começa a integrar mais conteúdos jornalísticos ao entretenimento nos web stories para notícias. O leitor pode encontrar desde informações de como fazer turismo no espaço à relatos da vida dentro de presídios brasileiros superlotados.

Diretrizes técnicas

É claro que as web stories para notícias terão que atender às regras do Google para que apareça nas buscas. O propósito do formato é informar com qualidade e rapidez, entregar a notícia completa para quem assiste. Dessa forma, é interessante evitar links que levam o leitor para conteúdos externos. 

O Google recomenda que as web stories contem a história completa, evitando conteúdos extremamente comerciais e as limitando entre cinco e 30 páginas. O título deve ter no máximo 40 caracteres e o texto de cada página precisa ser curto e objetivo, concentrado na ideia principal. 

Os vídeos também precisam ser adaptados para o novo formato. Isso significa duração curta, sendo 15 segundos o ideal e com o uso de legendas, que facilitam o entendimento de quem visualiza.  O Google sinaliza que web stories para notícias que sejam comerciais, tenham muitos links ou vídeos longos, não serão rankeados. 

Ferramentas que ajudam

As web stories são programadas para ser uma experiência de tela inteira e com carregamento rápido, por isso são uma evolução do modelo AMP (Accelerated Mobile Pages) já utilizado. A recomendação do Google é que os sites utilizem o formato de histórias em AMP que é gratuito, disponível para todos e que podem ser compartilhados e incorporados na web. 

https://amp.dev/pt_br/about/stories/

As web stories em AMP também oferecem um suporte para monetização dos sites de notícias. Ainda que a recomendação do Google seja de evitar conteúdos muito comerciais, há recursos para publicidade. O formato permite que os anunciantes cheguem até um público novo, proporcionando novas experiências com as notícias.  

Conheça outras ferramentas do Google para fomentar o jornalismo na web.